Tipos de Textos

TEXTO 001

Conhecendo  a  vontade de Deus de  três maneiras

Versículos Bíblicos

 

Rm 12:1 Rogo-vos, portanto, irmãos, pela compaixões de Deus que apresenteis os vossos corpos  por sacrifício vivo, santo, e agradável a Deus, que é o vosso racional serviço. (2) e não vos conformeis com esta era, mas sejais transformados pela renovação da vossa mente para que experimenteis  qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Rm 10:10 - Porque o reino de Deus não é comida e nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo

Luz e aplicação prática

A questão agora é como conhecer a vontade de Deus.  Freqüentemente achamos que pessoas mortais como nós nunca poderiam entender a vontade de Deus. Entretanto, devemos ter a certeza de que não só queremos conhecer a vontade de Deus, mas o próprio Deus também deseja que cumpramos a sua vontade. Não apenas devemos procurar conhecer a vontade de Deus, mas o próprio Deus quer que conheçamos e façamos a sua vontade. Se Deus quer que obedeçamos a sua Vontade, Ele mesmo precisa primeiramente capacitar-nos a conhecer a sua vontade. Nenhum filho de Deus precisa se preocupar e reclamar, dizendo: "já  que eu não posso conhecer a vontade de Deus, como poderia eu  obedecê-lo?". Esta é uma preocupação desnecessária por que Deus sempre tem uma maneira (um caminho) para nos mostrar (sinalizar) a sua vontade (Hb 13:21). Precisamos crer que Deus sempre mostrará sua vontade pelos seus próprios meios.

Quais seriam, então, os meios ou princípios para se  conhecer a vontade de Deus? Todo cristão precisa prestar atenção em três coisas para se conhecer a vontade de Deus. Se estas três coisas estiverem em harmonia  uma com a outra, podemos estar completamente certos de que esta será a vontade de Deus. Essas três coisas são: 1) O arranjo de Deus no ambiente; 2) A liderança do Espírito Santo e 3) o ensinamento das Escrituras. Essas três coisas não necessariamente estão mencionadas conforme a sua ordem de importância. Ou seja,  não necessariamente terão  que estar numa ordem seqüencial. Estamos simplesmente afirmando que estas  três coisas nos ajudam a conhecer a vontade de Deus. Se apenas uma dessas três coisas não estiverem harmonizadas umas  com as outras duas , significa que  ainda precisamos esperar um pouco mais. Precisamos esperar até que todas as três concordem umas com as outras, antes de seguirmos adiante.

De acordo com o versículo acima citado, a vontade de Deus é boa, agradável e perfeita. Isso significa que podemos sentir e perceber a vontade de Deus nesses três ângulos. Se a vontade de Deus existe, as nossas decisões devem visar ao que é bom aos olhos de Deus; tem de ser agradável e tem de ser perfeita como perfeita é  a Sua Palavra. Tiago 1:25 diz que "aquele que atenta na lei perfeita será bem a aventurado no que fizer". Ou seja, o que vem de Deus tem sabor agradável e conta com apoio de Deus e do ambiente (não conflita com Deus e com o ambiente que nos rodeia). Ou seja, o que vem de Deus nos traz paz e alegria do Espírito Santo, e,  de modo algum, segue em sentido contrário à Palavra da Verdade. 

Porém, se agirmos ao nosso próprio saber e sabor, o fim poderá não ser positivo e abençoado. Ao contrário, poderá ser trágico ou,  no mínimo,  sem qualquer fruto.  A vontade de Deus é sempre boa, perfeita e agradável.  Se negligenciamos qualquer desses itens, a  paz interior será perdida e a vontade de Deus não será cumprida. Espere até que uma questão seja confirmada pela outra. Do contrário, espere mais. Espere  o tempo que for necessário ou até mesmo pare com tudo.  Imagine um casamento fora da vontade de Deus... Melhor não arriscar tanto. Há decisões  que não tem retornos. Muito sofrimento poderá ser poupado se estivermos alinhados com a vontade suprema de Deus.